Medicamento Genérico ou Similar: você sabe a diferença?

Quando vamos comprar um medicamento na farmácia, normalmente as opções são variadas. E os preços também. Você costuma comprar medicamentos genéricos, similares ou de referência? Afinal, qual a diferença entre eles?

POR QUE TANTOS TIPOS DE MEDICAMENTOS

De acordo com o Ministério da Saúde, é uma forma de ampliar a oferta de medicamentos a preços mais acessíveis para o consumidor. Com uma prescrição médica, o paciente pode escolher entre o medicamento de referência, o genérico e o similar.

Leia também A importância das vitaminas no organismo

O medicamento de referência é aquele receitado pelo médico durante a consulta, o que constará escrito na prescrição para pedir no balcão da farmácia. Os medicamentos inovadores, fabricados exclusivamente por um laboratório durante um tempo são os chamados de referência. Normalmente são marcas mais conhecidas popularmente. Quando acaba o prazo de exclusividade do laboratório, a concorrência é aberta aos similares.

Mulher escolhendo medicamento em farmácia

Escolher entre o medicamento genérico, similar ou de referência deve ser uma preferência sua.

Já os similares possuem nomes e marcas diferentes do original, portanto tem maior concorrência e são mais baratos para o bolso do paciente. Esses medicamentos contém o mesmo princípio ativo e as mesmas indicações de uso dos medicamentos de referência.

Leia também Fortalecendo seu sistema imunológico

Agora vamos falar dos medicamentos genéricos, que se tornaram muito populares no Brasil. Esse tipo de medicamento não possui nome comercial, portanto seu nome é o próprio princípio ativo do medicamento de referência. Suas características e administração são as mesmas e é preciso que a caixa contenha uma tarja em amarelo escrito Medicamento Genérico para ser um.

AFINAL, QUAL ESCOLHER?

Os medicamentos genéricos e similares não tem diferenças quanto aos efeitos no organismo, então fique tranquilo na hora de escolher na farmácia. Uma vez que todo medicamento precisa ser aprovado em testes rigorosos da Anvisa, todas as opções vão ter os mesmos efeitos no organismo.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Conselho Federal de Farmácias (CFF), as três opções contêm os mesmos princípios ativos e podem ser usados de acordo com a receita médica.

Leia também Suplementação infantil: quando é necessário?

E QUANTO À CREDIBILIDADE DO MEDICAMENTO?

Os medicamentos de referência, por serem os primeiros no mercado, acabam por inspirar mais credibilidade aos consumidores. Por ter tido um alto investimento em pesquisas e uma bateria de estudos comprovando sua eficácia, naturalmente o preço se reflete ao paciente na hora da compra.

Apesar da Indústria ter controle sobre a patente de um medicamento durante anos, existem casos específicos em que essa patente pode ser quebrada. Quando o medicamento se revela inovador para a saúde pública do país, como já ocorreu com tratamentos para o vírus HIV, a patente é quebrada e as regras adequadas àquele medicamento.

Então, quando você for à farmácia buscar por um remédio, esteja certo de que pode escolher a opção que mais lhe agradar sem prejuízos no tratamento. Se ainda assim estiver em dúvida sobre os benefícios de determinado medicamento, é possível ler na embalagem “medicamento similar equivalente ao medicamento de referência”.

É importante cuidar da sua saúde com segurança, portanto aproveite as ofertas que preparamos para você.

Clique aqui

 

Fontes: Ministério da Saúde | Associação Brasileira de Planos de Saúde – ABRAMGE | O Estado de S. Paulo