Terçol: o que fazer?

O terçol ou hordéolo se trata de uma infecção bacteriana das glândulas sebáceas e sudoríparas que acomete as pálpebras. É uma lesão de formato de nódulo, com aspecto de uma “bolinha” vermelha, que se manifesta geralmente na região da borda da pálpebra e perto da linha dos cílios.

Sua principal característica é inchaço comum na pálpebra, porém, vem acompanhada de sinais típicos de infecção bacteriana:

  • Inchaço com a presença de pus;
  • Dor, desconforto e calor no local;
  • Vermelhidão;
  • Sensibilidade à luz intensa;
  • Visão embaçada;
  • Lacrimejando.

Leia também: Como agir em casos de insolação?

Os sintomas podem variar de acordo com o indivíduo. Sendo comum em homens, mulheres, crianças e idosos. Ademais, pode acometer em adolescentes, devido à desregulação dos hormônios, assim como em pessoas que têm excesso de oleosidade e outras inflamações na pálpebra.

Contudo, para boa parte das pessoas, o terçol é autolimitado, isto é, desparece sozinho entre 3 a 5 dias sem tratamento especifico, e não costuma durar mais que 1 semana. Em caso de persistência dos sintomas, é importante buscar um oftalmologista para entender e tratar do problema.

Ao diagnosticado, o tratamento se resumo a simples e boas práticas de higiene e aplicação de compressas mornas no local, que poderão ser combinadas, ou não, a medicação específica:

  • Limpe a região ao redor dos olhos, não acumulando secreção;
  • Aplique o local com compressas mornas durante 10 a 15 minutos em 3 ou 4 vezes ao dia;
  • Não esprema ou mexa na região, tal ação pode piorar a lesão;
  • Recomenda-se não usar maquiagem ou lentes de contato. Assim, a sua recuperação será mais rápida.

Para os casos mais graves, existe a opção da drenagem cirúrgica, para a para drenagem do pus do terçol.

Leia também: Conheça a dieta low carb

Fonte: Tua Saúde | Viva Bem Uol